Parque da Catacumba

Livreto inaugural conta história e propósito idealizado por Marcos Tamoyo para o Parque da Catacumba

Postado em 23 de dezembro de 2020

Às vésperas de completar 42 anos, o Parque da Catacumba está recuperando seu propósito inaugural. Posicionado de frente para a Lagoa Rodrigo de Freitas, o parque reconquista, enfim, seu status como área de lazer e cultura, que une uma obra-prima da natureza à arte produzida pelo homem.

Segundo o livreto de inauguração – preservado até hoje pelo artista Edgar Duvivier, que figura no acervo atual – o parque, idealizado em 1979, pelo então prefeito do Rio de Janeiro, Marcos Tamoyo, foi criado sobre “verdes saliências do relevo carioca, onde a sensibilidade do homem, à semelhança da natureza, pudesse expor essa maravilhosa arte da escultura”.

O Parque de Esculturas ao Ar Livre da Catacumba estreou com seleção de 24 esculturas modernas de artista consagrados internacionalmente, incluindo obras originárias de doações à Prefeitura e outras do seu patrimônio. Grande parte dessas esculturas continua em exposição nas alamedas e jardins, após minucioso trabalho técnico de restauração.

Nas reproduções das páginas do informativo, é possível conferir detalhes e fotos históricas, além de toda a expectativa que envolveu a inauguração do parque, onde “a passarada, as árvores, a vista e o ar mais puro” são elementos essenciais na busca por mais qualidade de vida em meio à rotina urbana.

 

 

 

Patrocínio

Patrocínio

Apoio

Apoio

Produção

Realização